É com pesar que informamos o falecimento do prof. Chaim Samuel Hönig, um pioneiro na Matemática no Brasil e que teve um papel importante na estruturação da comunidade.

Somos especialmente gratos ao prof. Chaim por sua imensa generosidade ao doar seu acervo pessoal a nossa biblioteca. 

O sepultamento será no dia 23 de março de 2018 às 13:30 no Cemitério Israelita do Embu das Artes, Estrada Keishi Matsumoto 7. O velório começa às 12h30.

 

Breve biografia

 

Chaim Samuel Hönig, nascido a 1​ o de Fevereiro de 1926 em Berlim, Alemanha, filho de Moises Hönig e Rachela Hönig. Emigrou para o Brasil em 1937 e se naturalizou brasileiro em​ ​ 1950.

 

Em 1948 bacharelou-se em Física e em Matemática pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da USP (FFCL da USP) e, no ano seguinte, licenciou-se em Matemática nesta instituição.

 

Iniciou sua carreira acadêmica em 1951 , como primeiro assistente do professor Edison Farah (1915-2006) na cadeira de Análise Superior da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras​ ​ da​ ​ USP.

 

Em 1952, obteve o Título de Doutor em Matemática, por meio da defesa da tese intitulada “Sobre​ ​ um​ ​ método​ ​ de​ ​ refinamento​ ​ de​ ​ Topologias”.

Ainda no início dos anos 1950, realizou pós-doutorado no Institut Henri Poincarè na França.

 

Nesse período estudou com matemáticos célebres, tais como Marc Krasner, Laurent Schwartz, Alexander Grothendieck, Jean-Louis Koszul, Henri Cartan e André Lichnerowicz,​ ​ para​ ​ citar​ ​ alguns.

 

Em 1959, elaborou a tese “Sobre uma generalização dos números Reais e a sua aplicação na classificação dos grupos sem torção” para o concurso para provimento da cátedra de Complementos de Matemática da Faculdade Nacional de Filosofia, Ciências e Letras​ ​ da​ ​ Universidade​ ​ do​ ​ Brasil.

 

Em meados de 1960, Chaim foi contratado para reger a recém-criada cadeira de Equações Diferenciais da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras e, em 1965, tornou-se Professor Livre-Docente ao defender a tese intitulada “Análise de Fourier em Espaços L2 e​ ​ Teoremas​ ​ do​ ​ Tipo​ ​ Sobolev”.

 

Em 1973, tornou-se, por meio de concurso, Professor Titular em Matemática do Instituto de Matemática e Computação (IME-USP) , cargo no qual se aposentou compulsoriamente em 1996, ao completar setenta anos. Após este período continuou atuando na USP como professor​ ​ voluntário.

 

Além disso, foi bolsista do Instituto de Física Teórica de São Paulo, chefe de pesquisas do CNPq, professor titular visitante do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, professor associado na Faculdade de Ciências da Universidade de Rennes, e professor visitante no IMPA.

 

No Brasil, trabalhou com Jacy Monteiro, Candido Dias, Leopoldo Nachbin, Carlos de Lyra, entre​ ​ outros.

 

Além de sua atuação intensa nos cursos de graduação e pós-graduação no IME-USP, na organização de seminários naquela instituição, na publicação de material didático, e na formação de alunos, o prof. Chaim contribuiu, também, na organização de inúmeros eventos.

 

Foi o idealizador e organizador da primeira edição dos Colóquios Brasileiros de Análise, além de ter participado da organização de vários eventos, como das Quinzenas de Análise Funcional e Equações Diferenciais Parciais no ITA, da Primeira Escola Latino-Americana de Matemática, e dos Seminários Brasileiros de Análise, do Simpósio de Análise realizado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), da Semana de Análise Funcional Não-Linear e do Simpósio de Análise Funcional realizados na UNICAMP. Foi membro fundador e primeiro presidente da Sociedade Brasileira de Matemática​ ​ e ​ ​ primeiro​ ​ editor​ ​ chefe​ ​ do​ ​ Boletim​ ​ da​ ​ SBM.

Assim, pode-se afirmar que o prof. Chaim teve um papel central na estruturação e ampliação​ ​ da​ ​ Comunidade​ ​ Matemática​ ​ no​ ​ Brasil.