Ativamente UFABC

Estudos indicam que as intervenções educativas e em forma de treino cognitivo podem ajudar pessoas idosas a manter e maximizar as suas funções cognitivas, incentivando o processamento contextualizado das informações e o uso de estratégias que potencializam os processos de codificação e resgate dos conteúdos armazenados na memória de longo prazo. No entanto, há controvérsias sobre que tipos de treino podem potencializar os ganhos cognitivos e sobre quanto tempo após o treino os ganhos se mantêm. Somado a isso, são ainda pouco numerosos estudos sobre treino cognitivo com idosos brasileiros, cujo perfil cultural, econômico e educacional se difere das populações investigadas em países desenvolvidos.

Objetivos: O presente trabalho de pesquisa foi realizado em conjunto com ações de extensão da Universidade Federal do ABC (projetos AtivAmente e Pense Brain!) e teve como objetivos: (1) Realizar programas de treino cognitivo, dirigidos à população idosa sem declínio cognitivo patológico a fim de otimizar seu funcionamento cognitivo, enfocando a melhora da memória, atenção e velocidade de processamento de informações; (2) Promover o acesso da população idosa ao câmpus da UFABC, divulgando o conhecimento científico sobre Neurociência e Cognição a esta população; (3) Propiciar a intergeracionalidade entre idosos e estudantes; (4) Promover a aplicação prática de conhecimentos adquiridos em disciplinas do Bacharelado em Neurociência e Cognição e dos cursos associados ao Bacharelado em Ciência e Tecnologia (BCT) e ao Bacharelado em Ciência e Humanidades (BCH), favorecendo o processo de formação dos estudantes.

Métodos: Após visita dos docentes e pós-graduandos envolvidos no projeto ao Centro de Referência do Idoso de Santo André (CRISA) e divulgação no Diário do Grande ABC tivemos 120 inscrições e por ordem de inscrição foram selecionados 60 indivíduos, 45 convidados a participar dos grupos de treino cognitivo (grupo experimental) e outros 15 que fizeram as avaliações pré e pós-teste e foram convidados a participar de outras atividades culturais oferecidas na UFABC (grupo controle/ lista de espera). O trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFABC e todos os participantes assinaram um termo de consentimento no início do estudo. Foi desenvolvido programa educativo e de treino cognitivo com estratégias para facilitar o funcionamento da memória episódica. Os grupos experimental e controle passaram por uma etapa de pré-testes de desempenho cognitivo, funcional, humor e qualidade de vida. Após este mapeamento inicial, os idosos do grupo experimental participaram de 8 sessões de treino (1 vez por semana durante 90 minutos em grupos de 22 e 23 participantes). O treino foi multidimensional, envolvendo informações sobre o funcionamento cognitivo no envelhecimento e atividades práticas de treino de memória episódica, feitas durante as oficinas e também entre os encontros (práticas para casa). Os indivíduos do grupo controle (n=15) participaram no mesmo período de: 1) palestras sobre diversos temas de Neurociência e Cognição; 2) Sessões de Cinema com debates sobre temas da Neurociência. Todos os participantes (grupos experimental e controle) receberam materiais informativos traduzidos com autorização da Dana Association e foram convidados a visitar o Blog da Neurociência criado em 2014 no contexto desses projetos de extensão. Todas as atividades dos grupos experimental e controle foram realizadas em 2,5 meses e após esse período ambos os grupos foram reavaliados.

Resultados: Entre os 60 participantes, 28 do grupo experimental e 12 do grupo controle preencheram os critérios de inclusão e exclusão para o estudo e seus dados de pré-teste e pós-teste foram utilizados avaliação da eficácia do treino cognitivo, ou seja, somente estes indivíduos não apresentaram no rastreio resultados sugestivos de déficit cognitivo, depressão e ansiedade. Todos os participantes atingiram 75% de frequência nas atividades propostas. A análise de resultados parciais mostrou que tanto os indivíduos do grupo controle quanto os do grupo experimental consideraram as atividades agradáveis e reportaram em questionários benefícios em participar das mesmas (satisfação). Nos testes objetivos, no entanto, verificamos no grupo experimental melhora estatisticamente significante em medidas de atenção, memória episódica, velocidade de processamento mental e em medidas de humor (sintomas de ansiedade/depressão). O grupo controle, apresentou também melhora estatisticamente significante em medidas de humor e velocidade de processamento mental, no entanto, manteve a performance inicial na maioria dos testes de memória episódica. (As análises ainda devem ser confirmadas quando tivermos dados de um maior número de participantes). Os participantes receberam feedback sobre as avaliações realizadas e foram encaminhados a serviços de saúde quando necessário. Os participantes do grupo controle estão realizando o programa de treino cognitivo em uma turma nova que teve início em 12/03/2015. Discussão: O projeto atingiu todos os objetivos previstos e gerou como produtos adicionais um programa de treino cognitivo com apostila de atividades, material de divulgação científica (blog e folhetos). Os encontros foram acompanhados pelos docentes e estudantes de graduação e pós-graduação em Neurociência e Cognição, incentivando-se o raciocínio crítico e a autonomia no processo de busca por conhecimentos.
A manutenção dos resultados do treino será verificada após 6 meses com seguimento dos participantes. Outros tipos de treino (enfoque em memória de trabalho) estão sendo desenvolvidos.

Responsaveis

Pesquisador responsável:

Profa Dra Maria Teresa Carthery Goulart – Centro de Matemática, Computação e Cognição da Universidade Federal do ABC, Bacharelado em Neurociência, Programa de Pós-Graduação em Neurociência da UFABC -

Equipe:

Prof. Paula A. Tiba - Centro de Matemática, Computação e Cognição da Universidade Federal do ABC, Bacharelado em Neurociência, Programa de Pós-Graduação em Neurociência da UFABC -

Prof. Maria Alice de Mattos Pimenta Parente - Centro de Matemática, Computação e Cognição da Universidade Federal do ABC, Bacharelado em Neurociência, Programa de Pós-Graduação em Neurociência da UFABC

Pós-graduandos

Henrique Salmazo da Silva - Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Neurociência da UFABC -

Roberta Roque Baradel- Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Neurociência da UFABC-

Alunos de graduação:

Katarina Duarte Fernandes
Carlos Fernando de Araujo Ramos
Cristiane dos Santos Costa
Jaqueline Fernandes Félix
Joselisa Péres Queiroz de Paiva
Marcus Vinicius Costa
Luís Fernando Bevilacqua Palma de Vasconcelos
Aline Cristina dos Santos Liberato